Poemas de Vinicius de Moraes

0
41
Poemas de Vinicius de Moraes
Poemas de Vinicius de Moraes

Felizmente, a literatura brasileira é recheada de escritores brasileiros que se destacaram nos mais variados tipos de textos, como crônica, poesia, prosa e também poema. Um dos escritores mais conhecidos por suas obras literárias é Vinicius de Moraes. No entanto, embora seja tratado em diferentes planos pedagógicos e livros didáticos, muitos estudando acabam não prestando atenção em suas obras. Então, quer saber um pouco mais sobre os poemas de Vinicius de Moraes? Leia o artigo abaixo!

Poemas de Vinicius de Moraes
Poemas de Vinicius de Moraes

Quem é Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes foi um dos grandes contribuidores para o enriquecimento da cultura literária brasileira. Além de atuar como escritor, Moraes permeou sobre várias outras áreas, como dramaturgo, letrista, jornalista, diplomata e até mesmo crítico de cinema.  Hoje, suas obras são utilizadas para compor o plano pedagógico brasileiro e também como texto-base de questões nas principais provas brasileiras, como Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

Algumas das principais obras de Vinicius de Moraes no campo dos poemas foram:

  • Ariana, a Mulher (1936);
  • Soneto de contrição (1938);
  • Cinco Elegias (1943);
  • Poemas, Sonetos e Baladas (1946);
  • Soneto do amor total (1951);
  • Livro de Sonetos (1956);
  • O Mergulhador (1965).
Vinicius de Moraes
Vinicius de Moraes

Biografia de Vinicius de Moraes

Fluminense, Vinicius de Moraes nasceu em 19 de outubro de 1913 e morreu em 9 de julho de 1980 no Rio de Janeiro devido uma isquemia cerebral. Na vida pessoal, o escritor era considerado um boêmio, apreciador de uísque e cigarro, além de ser conquistador, tanto que se casou por nove vezes.

A obra de Vinicius de Moraes passeou pelo cinema, literatura, teatro e também a música, no qual teve como colegas músicas renomados como João Gilberto, Tom Jobim, Chico Buarque e Toquinho. Aliás, Vinicius de Moraes foi um dos criados do movimento musical Bossa Nova, nos anos 50, e também um dos responsáveis pela composição de “Garota de Ipanema”, que se tornou um fenômeno mundial na voz de Tom Jobim.

Mas não foi apenas na área da música que Vinicius de Moraes realizou parcerias, como também na própria literatura. Por exemplo, uma das parcerias de sucesso é com João Cabral de Melo Neto para produção do poema ‘Pátria’ e com Manuel Bandeira para ‘Noite’.

Poemas de Vinicius de Moraes

As obras de Vinicius de Moraes passaram por diversas metamorfoses temáticas. Ele baseou seus textos em vários assuntos que foram e são pertinentes à sociedade. No início, os poemas tinham como temas assuntos relacionados ao cunho espiritual, sempre baseado em textos da Bíblia Sagrado. Tempo depois, as obras foram direcionadas para o erotismo, tema totalmente contrário à religiosidade.

Após dividir suas obras em temas tão distintos, os poemas de Vinicius de Moraes passaram a abordar questões sociais e também visão do amor. Nessa mudança, o escritor também passou a usar uma linguagem mais acessível e objetivas, misturada com o realismo. Entretanto, o estilo lírico não foi deixado de lado, muito pelo contrário, continuou se fazendo presente.

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

Poema dos olhos da amada

Ó minha amada
Que olhos os teus

São cais noturnos
Cheios de adeus
São docas mansas
Trilhando luzes
Que brilham longe
Longe nos breus…

Ó minha amada
Que olhos os teus

Quanto mistério
Nos olhos teus
Quantos saveiros
Quantos navios
Quantos naufrágios
Nos olhos teus…

Ó minha amada
Que olhos os teus

Se Deus houvera
Fizera-os Deus
Pois não os fizera
Quem não soubera
Que há muitas eras
Nos olhos teus.

Ah, minha amada
De olhos ateus

Cria a esperança
Nos olhos meus
De verem um dia
O olhar mendigo
Da poesia
Nos olhos teus.

Vinícius de Moraes

A Rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida.
A rosa com cirrose
A antirrosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada.

Vinícius de Moraes

Poemas de Vinicius de Moraes
Poemas de Vinicius de Moraes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here