Cada molécula tem um formato diferente, definido pelos átomos dos elementos que as compõem e pelas ligações que nelas se estabelecem. Ao ramo que estuda a forma desses átomos dá-se o nome de geometria molecular e, para compreender melhor essa área da Química, o professor Emiliano Chemello, que leciona a disciplina na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), elaborou um curto plano de aulas que envolve também a disciplina de Língua Inglesa. O projeto, direcionado ao ensino médio e com duração de duas horas-aula, é dividido em quatro passos. Para sua realização, são necessários computadores com acesso à internet, fones de ouvido e microfones para os alunos. Confira-o a seguir.

1ª AULA

1º passo

Para iniciar as atividades, o professor de Química, em parceria com o de Inglês, deve levar os alunos ao laboratório de informática, no qual os estudantes devem ser divididos em grupos de até três alunos (caso não seja possível colocar apenas um jovem por máquina). Cada grupo deve contar com um fone de ouvido e um microfone, que serão muito úteis durante as aulas. Feito isso, peça a eles para acessarem o endereço eletrônico www.quimica.net/emiliano/vsepr.html, no qual poderão conferir um infográfico, com narração em inglês, sobre os diferentes formatos de geometria molecular.

2º passo

Os alunos devem ouvir todas as explicações do infográfico e, em seguida, traduzi-las para o português. “Essa atividade requer muita concentração, pois ambas as áreas, química e inglês, estarão envolvidas nessa etapa”, comenta Chemello. Com o material traduzido, os estudantes devem gravar o áudio das explicações usando o gravador do Windows (Iniciar >Acessórios >Gravador de som) e o microfone disponibilizado. A avaliação e a correção das gravações serão feitas pelos professores de ambas as disciplinas.

2ª AULA

1º passo

De volta ao laboratório, os alunos devem trabalhar com o programa gratuito Cmap Tools (software disponível em cmap.ihmc.us – tutorial disponível em bit.ly/tutorialcmaptools) para criar um mapa conceitual dos distintos formatos de moléculas que existem (linear, angular, trigonal plana ou triangular, piramidal, tetraédrica, bipirâmide trigonal e octaédrica). É possível conferir um exemplo de mapa acerca desse assunto no endereço bit.ly/exemplo-mapa-geometria.

2º passo

Para concluir o plano de aulas, é a vez de os alunos escutarem as gravações realizadas na primeira aula. “Nesse momento, os grupos poderão ouvir as traduções de seus colegas, ver em que erraram e no que podem melhorar”, destaca o autor do projeto.

Avaliação

Os pontos que devem ser avaliados durante o plano de aulas são o comprometimento durante a atividade, a qualidade da tradução e o empenho nela, a construção dos mapas conceituais e as observações de retificações das traduções. “Depois da atividade, espera-se que o aluno seja capaz de ter uma visão mais ampla e significativa a respeito da geometria molecular”, observa o professor. “Espera-se também que o aluno desenvolva a habilidade de identificar uma molécula a partir de sua fórmula para, na sequência, desenvolver outras competências associadas às ligações intermoleculares, assunto que tem como pré-requisito a geometria molecular”, explica Chemello. Além disso, o professor acredita que a integração entre as disciplinas permite que o aluno desenvolva vocabulário técnico no inglês, associado aos termos da química na narração.

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!