Saber lidar com o dinheiro, como e quanto poupar, o que são juros simples e compostos, como eles funcionam, quais são os investimentos financeiros existentes e outros aspectos são conhecimentos que se tornam cada vez mais imprescindíveis na vida adulta. No entanto, como é na escola que as crianças e os adolescentes desenvolvem as principais competências e habilidades, a necessidade de implantar a educação financeira como parte do currículo escolar cresce a cada dia.

Com isso em mente, a professora de Matemática Ingrid Milléo, de Ponta Grossa (PR), desenvolveu um plano de aulas completo que mostra aos alunos todos esses tópicos e ainda ensina um pouco de história do Brasil e do mundo. A educadora aplicou as atividades numa turma de ensino médio de Educação de Jovens e Adultos (EJA), mas, de acordo com ela, as atividades também podem ser aplicadas para o ensino regular. “O assunto pode ser trabalhado tanto no ensino fundamental quanto no médio, resguardando as devidas limitações cognitivas pertinentes a cada faixa etária”, afirma Ingrid. Ao todo, o plano de aulas foi elaborado pela professora para ser dividido em quatro grandes etapas, com duração total de 32 horas/aula, com média de 8 horas/aula por etapa. Entre os recursos utilizados por ela no decorrer das aulas de Matemática Financeira estão planilhas eletrônicas, apresentações com slides, vídeos retirados da internet e as principais ferramentas para as finanças: calculadoras.

Para ensinar finanças a seus alunos, a professora Ingrid optou por começar com a história da moeda, onde foram abordadas questões referentes à moeda desde os primórdios da humanidade até os dias de hoje, dando maior destaque para a história da moeda no Brasil. Na etapa seguinte, a educadora iniciou a abordagem da Matemática Financeira propriamente dita. “Nessa etapa, são abordados os conteúdos da Matemática Financeira, como juros, cálculo de juros simples e compostos, descontos simples e composto, taxas efetivas e equivalentes, etc.”, conta Ingrid.

Em seguida, a professora avançou nos conhecimentos sobre finanças ao ensinar para seus alunos o que é um planejamento financeiro, seus detalhes e características mais importantes, apresentando para eles “uma forma de planejar-se financeiramente com o objetivo de equilibrar o ganho com o gasto”, afirma a educadora a respeito da terceira etapa do plano de aulas.

Para concluir todo o projeto de Matemática Financeira, Ingrid abordou quais são os produtos financeiros existentes, como financiamentos e investimentos, dando ênfase maior aos investimentos financeiros: renda fixa, letra de câmbio, ações, certificado de depósito bancário (CDB), swap, ouro, dólar e moedas estrangeiras, hedge e cadernetas de poupança.

Apesar de ser um assunto complicado e com vários detalhes, os alunos gostaram muito do projeto, pois de acordo com a professora Ingrid, as aulas permitiram que os estudantes compreendessem que, com um planejamento financeiro adequado, nada é impossível. “Os alunos gostaram das aulas, pois conseguiram entender que não importa o quanto seja sua renda familiar, sempre é possível poupar e investir no futuro ou em algum sonho”, conclui a educadora.

 

Plano de aula de Matemática Financeira

1ª Etapa:

História da moeda

Questões referentes à moeda desde os primórdios da humanidade até os dias de hoje, dando maior destaque para a história da moeda no Brasil.

2ª Etapa:

Matemática financeira

Conteúdos como juros, cálculo de juros simples e compostos, desconto simples e composto, taxas efetivas e equivalentes.

3ª Etapa:

Finanças: planejamento financeiro

Elaborar um planejamento com o objetivo de equilibrar o ganho com o gasto.

4ª Etapa:

Produtos financeiros

Financiamentos e investimentos: renda fixa, letra de câmbio, ações, cadernetas de poupança e outros.

 

Fonte: Ingrid Milléo, professora de Matemática no ensino supe­rior e na rede estadual de ensino do Paraná

 

Escrito por Fábio Torres

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!