O Brasil tem um grande histórico de poetas renomados: Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Mário de Andrade, Mário Quintana, Castro Alves, Vinícius de Moraes etc. Assim, estudar poesia na escola pode ser algo inspirador. Para trabalhar esse gênero textual de maneira mais descontraída, a professora de Língua Portuguesa Maria do Carmo Rezende Procaci Santiago, que leciona a disciplina em escolas da rede municipal de Educação do Rio de Janeiro (RJ), elaborou um plano de aulas flexível, no qual o professor dá aos alunos bastante liberdade para trabalhar e estudar os poemas que quiserem. “Os poetas escrevem para brincar, emocionar, divertir, fazer pensar o mundo de um jeito novo. E, para isso, usam diferentes recursos, como rimas, repetições, metáforas e até a forma inusitada de dispor as palavras no papel para transmitir suas ideias, suas experiências e suas emoções ao leitor. Ao compor um poema, o poeta pode, por exemplo, jogar com a sonoridade das palavras, buscando sons similares, rimando as palavras no final dos versos, repetindo sons parecidos ou iguais em várias palavras, fazendo com que elas ecoem ao longo do poema”, orienta a educadora.

As atividades começam com a ida dos alunos à biblioteca ou à sala de leitura da escola. Lá cada estudante (ou grupo de estudantes) escolhe um autor ou um poema de sua preferência e depois realiza uma série de trabalhos sobre o escritor ou o poema escolhido. “As atividades que compõem o plano são bastante variadas, tais como dinâmicas em grupo, leituras, textos imagéticos, entrevistas”, explica Maria do Carmo. Para a apresentação desses trabalhos, a professora de Língua Portuguesa sugere o uso de plataformas variadas, como apresentação em vídeo, texto (com ou sem imagens), slides, arquivos sonoros, entre outras. Para esse trabalho, a educadora carioca afirma que não existe um limite no número de aulas, mas sugere que o professor não exceda mais do que um mês de aulas.

Depois do trabalho inicial sobre os poemas consagrados da literatura brasileira, é chegada a hora de colocar os alunos para escrever. Maria do Carmo sugere que o professor adote um tema e peça aos alunos para deixarem a criatividade fluir. “Existe em nossa cultura uma crença muito arraigada de que a função da poesia é cantar amores ou exaltar o belo. É importante ajudar os alunos a se desfazer dessa crença e compreender que, na verdade, a poesia traduz em palavras a maneira como o poeta olha o mundo”, afirma. A professora escolheu, com seus alunos, o tema Copa do Mundo, que gerou ótimo resultado. Confira alguns dos poemas a seguir.

Rumo ao hexa

Por Pedro Thiago Carvalho

Todos gostam da Copa do Mundo

E esta Copa será nossa.

O Brasil é o melhor

Será hexacampeão!

Bola rolando

E o gol entrando.

Brasil!!! Brasil!!!

Ninguém segura

Os meninos do Brasil

 

Falando de Copa

Por Ana Carolina Santos de Freitas

Quando a Copa chegar,

Todos alegres vão ficar.

Os times entrando em campo,

A torcida vai delirar.

No início de jogo,

Os atletas se aquecendo

E a galera pega fogo.

Aguenta coração!

Mas todos se lembrando,

Que o importante é competir.

Seja qual for o resultado,

De cabeça erguida sair.

 

O futebol

Por Bruna Elen dos Santos Figueiredo

A Copa está chegando,

Muita coisa vai acontecer,

O Brasil vai ganhar,

E seu povo alegrar.

Depende muito de você,

Mandar energia positiva,

Para todos os jogadores,

E para o técnico também.

Já estou imaginando,

Um placar de 6x3.

Do Brasil ninguém tira a vez

E campeão ele vai ser.

 

Matéria publicada na edição de março de 2014.

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!