O transporte ferroviário não é o principal meio de transporte do Brasil, mas não deixa de ser representativo no cenário do País. Ao todo, são 29,7 mil quilômetros de trilhos espalhados por 22 estados brasileiros mais o Distrito Federal, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Esse número chegou a ser maior em períodos anteriores, mas a falta de investimentos e a preferência pelo transporte rodoviário fizeram com que os trens fossem deixados de lado.

Esse cenário inspira o plano de aulas do professor de Geografia, Gabriel Egídio do Carmo, que leciona na Escola Estadual Samuel João de Deus, de Paula Cândido (MG). Para mostrar toda a situação da malha ferroviária brasileira para seus alunos do 1º ano do ensino médio, Carmo usa como base a matéria do programa Caminhos da Reportagem sobre trens do Brasil, trabalho eleito vencedor do Prêmio ANTF 2012 de Jornalismo na categoria Televisão, concedido pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF). “Indico a matéria para falar não só sobre o transporte ferroviário, mas também para mostrar por que os trens entraram em decadência e o modelo de rodovias acabou prevalecendo no Brasil”, justifica o professor.

O programa foi elaborado para durar três aulas, com os objetivos de analisar a situação da malha ferroviária no Brasil; investigar as vantagens e as desvantagens de nosso sistema de ferrovias; e verificar e analisar a matriz de transportes brasileira. Segundo Carmo, durante as aulas, é importante ter em mente que é preciso analisar o transporte ferroviário no Brasil, comparar as linhas de trens com as estradas, compreender o que é transporte multimodal e também entender a infraestrutura de transportes do País.

O começo da atividade é com a exibição da reportagem (disponível em tvbrasil.ebc.com.br/caminhosdareportagem/episodio/trens-do-brasil). No site, o material está dividido em três partes, mas o educador mineiro aconselha que a exibição seja feita de uma única vez (são 48 minutos de vídeo). Após os alunos assistirem ao episódio, Carmo sugere o debate com os estudantes dos tópicos destacados no começo, a fim de sanar eventuais dúvidas e estabelecer os fundamentos para a atividade final do plano de aulas, que é a produção de um texto coletivo sobre a situação da malha ferroviária no Brasil e todas as questões que a cercam. “Proponha a produção de um texto coletivo que conte a história, os desafios atuais e as perspectivas futuras do transporte ferroviário no Brasil”, esclarece o professor.

Para avaliar a aprendizagem dos estudantes, Gabriel do Carmo aconselha que, além da avaliação dos textos produzidos, os professores fiquem atentos à participação dos alunos, tanto durante a exibição do vídeo quanto após a exibição, nos debates sobre o tema do plano de aulas.

 

Matéria publicada na edição de novembro de 2013.

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!