A autoestima nasce da imagem positiva que temos de nós mesmos. É algo que precisa ser construído todos os dias de nossa vida e que necessita ser sólido o suficiente para que não nos influenciemos negativamente por acontecimentos exteriores, ou seja: ela depende exclusivamente do nosso interior. Veja a seguir, na opinião do psicólogo e coach João Alexandre Borba, os benefícios de uma boa autoestima e como conquistá-la.

Aumentar a produtividade: a forma como nos vemos afeta diretamente aquilo que fazemos. Pessoas com a autoestima elevada são mais felizes, conquistam seu bem-estar e, consequentemente, aumentam a sua produtividade.

Abrir-se para o mundo: muitas vezes, as pessoas sofrem sozinhas e caladas, falam coisas negativas para si mesmas, não conseguem manter a palavra, não têm a capacidade de perdoar a si mesmas e aos outros. Sempre comente com os amigos e a família sobre os problemas e as realizações positivas do dia a dia.

Enfrentar desafios: a autoestima não é algo com que nascemos, mas sim que se desenvolve com a experiência do que fazemos. Podemos resumi-la como a experiência de ser capaz de enfrentar os desafios e promover a felicidade.

Aprender com o passado: sempre examine o passado. Ao fazê-lo, você pode perceber que é possível corrigir alguns erros. Ao se deparar com o que não pode ser mudado, o melhor a fazer é aceitar e esquecer, e  concentrar-se apenas no que pode ser melhorado.

Encontrar um meio-termo: normalmente, quem tem autoestima baixa é “oito ou oitenta”, ou seja, se uma tarefa realizada não saiu perfeita, ela foi um tremendo fiasco. É preciso também focar no lado positivo e dar mais atenção a ele.

Dar sentido à vida: isso faz com que as pessoas se sintam mais satisfeitas consigo mesmas e apresentem autoestima elevada e estável. Manter uma rotina de exercícios pode ajudar também no desenvolvimento da autoestima.

 

Artigo publicado na edição de novembro de 2014

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!