O que é alimentação saudável? É aquela que fornece uma quantidade satisfatória de calorias, proteínas, sais minerais, água, vitaminas e outros nutrientes, para que o corpo desenvolva-se adequadamente.

A pirâmide alimentar é um bom guia para ajudar na escolha do que cada refeição deve conter. Ao se alimentar, a pessoa se nutre, fortalece o organismo e contribui para o desenvolvimento de um ser humano mais feliz. Um ser humano saudável é muito mais do que uma pessoa sem doenças. É uma pessoa que vive em estado de bem-estar físico, mental e social, ou seja, que ri, anda, corre, trabalha, diverte-se e participa da vida da família e da comunidade. Assim como as máquinas precisam de combustível para funcionar, o organismo necessita de alimentos para produzir energia e movimento. Os especialistas em Nutrição dizem que a boa alimentação é aquela que equilibra os nutrientes de que o corpo necessita: carboidratos (pães, massas, batatas); vitaminas e sais minerais (frutas, legumes e verduras); proteínas (carnes, ovos e leite); lipídeos (azeite, manteiga e óleos). E não se deve esquecer de beber bastante água.

Veja a seguir uma proposta de atividades para trabalhar o tema na escola, como sugestão para marcar o Dia Mundial da Alimentação, comemorado em 16 de outubro.

Objetivos

- Por meio de uma pesquisa entre os alunos, identificar suas preferências alimentares e o conhecimento que eles têm sobre alimentação – utilizar o conhecimento de mundo;

- Levar o aluno a tomar consciência de sua forma de alimentação e como conduz sua vida;

- Elaborar e distribuir material orientando sobre o que é uma boa alimentação;

- Organizar e promover atividades de educação alimentar, visando o aproveitamento integral dos alimentos;

- Aproveitar ao máximo os alimentos, cuidando de sua correta conservação, usando receitas alternativas e evitando o desperdício;

- Identificar vários tipos de alimentos;

- Incentivar os bons hábitos alimentares;

- Discutir sobre os cuidados que devemos ter com os alimentos e com a nossa saúde;

- Pesquisar sobre as necessidades alimentares, alimentação equilibrada, necessidades calóricas de crianças, adolescentes, adultos e idosos;

- Conscientizar o aluno sobre o que acontece com o alimento no corpo, para onde vai, para que serve e como pode melhorar ou piorar a saúde;

- Levar o aluno a perceber que o preparo dos alimentos começa muito antes de a comida ir para a panela;

- Estimular a linguagem oral, a leitura, a criatividade, trabalhando os valores.

 

Abordagem por áreas

Língua Portuguesa

Trabalhar receitas: a receita é um gênero textual que apresenta duas partes bem definidas – ingredientes e modo de fazer – que podem ou não conter títulos. A primeira parte apenas relaciona os ingredientes, estipulando as quantidades necessárias, indicadas em gramas, xícaras, colheres, pitadas, etc. No modo de fazer, os verbos apresentam-se quase sempre no imperativo, pois essa parte indica, passo a passo, a sequência dos procedimentos e da mistura dos ingredientes a ser seguida; trabalhar a leitura de rótulos e embalagens de alimentos, leitura de textos, leitura de imagem, criação de poemas, músicas, textos sobre alimentação.

Matemática

O domínio das frações e proporções é fundamental para seguir uma receita, trabalhar quantidade (quilo, grama); realizar cálculo das calorias necessárias.

Artes

Recorte e colagem; desenhos, letras de músicas.

 

História e Geografia

Pesquisas sobre alimentação nas diversas regiões do Brasil.

Ciências

Valor dos alimentos; pirâmide alimentar; tipos de alimentos de cada estação do ano.

 

Desenvolvimento

Problematização

Por meio de uma roda de conversa, iniciar as atividades sobre o tema proposto: O que você sabe sobre alimentação? Qual seu alimento preferido? Como está sua alimentação? O que faz parte de sua alimentação? Por meio dessa conversa bem informal, levar os alunos a refletirem sobre seus hábitos alimentares, acompanhando o projeto e participando ativamente de todas as 10 etapas, conforme o passo a passo sugerido a seguir:

Primeira etapa

Deixe que a alimentação seja o seu remédio e o remédio a sua alimentação.” (Hipócrates)

O destino das nações depende daquilo e de como as pessoas se alimentam.”

(Brillat-Savarin, 1825)

Com base na leitura dos pensamentos apresentados, propor aos alunos reflexão, discussão e montagem de um painel no qual as ideias deles sejam apresentadas por escrito e, opcionalmente, acompanhadas de gravuras ou desenhos. Socialização dos trabalhos para todo o grupo.

Segunda etapa

De acordo com os princípios de uma alimentação saudável, todos os gru­pos de alimentos devem compor a dieta diária. A alimentação saudável deve fornecer água, carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais, os quais são insubstituíveis e indispensáveis ao bom funcionamento do organismo. A natureza e a qualidade daquilo que se come e se bebe é de importância fundamental para a saúde e para as possibilidades de se desfrutar todas as fases da vida de forma produtiva e ativa, longa e saudável. Salienta-se que a prática de atividade física é igualmente estratégica para redução e controle de peso. Não é possível dissociar o consumo alimentar do gasto energético.

 

Atividades

Ler e discutir em grupo o texto acima. Apresentação oral e escrita dos trabalhos.

Terceira etapa

Trabalhar rótulos de embalagens de alimentos. Primeiramente, apresentar aos alunos embalagens, rótulos de diversos alimentos e verificar o que identificam neles. Depois da fala dos alunos, o professor poderá dar mais informações sobre etiquetas e embalagens.

Quarta etapa

O professor deve dividir a turma em grupos de cinco a oito alunos e distribuir provérbios bem conhecidos. Alguns grupos vão representá-los com gestos e os outros grupos tentarão identificá-los. Elaborar uma tabela para marcação de pontos. Pode-se dar aos vencedores, como premiação, frutas variadas. Fotografar todas as atividades para que fiquem bem registradas todas as etapas do projeto e, no final, fazer um mural de fotos.

Sugestões de provérbios:

Saco vazio não para em pé. Quem não chora, não mama. Farinha pouca, meu pirão primeiro. Onde come um, comem dois. O que é do homem, o bicho não come. O primeiro milho é dos pintos. Nem só de pão vive o homem, e outros mais.

Quinta etapa

Discutir com os alunos quais os alimentos mais usados na sua região e solicitar ao grupo que pesquise o que as pessoas mais consomem. Construir um mural com os principais alimentos consumidos em sua região. Depois, ampliar a pesquisa para as outras regiões do Brasil e, em grupo, cada um apresentará os principais alimentos e pratos tradicionais da região escolhida.

Sexta etapa

Trabalhar o ato de comer como condição de: direito humano, prazer, solidariedade, aprendizagem e nutrição. Fazer uma dinâmica para dividir a turma em grupos. O professor deve distribuir aos alunos papéis contendo o nome de alimentos. Os alunos deverão descobrir qual o critério para a divisão dos grupos e identificar o seu grupo para os colegas (Grupo 1: grãos; Grupo 2: raízes; Grupo 3: frutas; Grupo 4: verduras; Grupo 5: origem animal).

Grupo 1

Escrever uma declaração: você viu que “Alimentar-se é um direito humano de todos”. Ao refletir sobre isso, o grupo escreverá uma Declaração dos Direitos Humanos à Alimentação, composta de, pelo menos, 10 artigos.

Grupo 2

Dramatizar a situação: “você sabia que o principal problema da fome não é a falta de alimento, mas a falta de acesso aos alimentos que existem?”. O grupo dramatizará uma situação que demonstre a dificuldade de acesso aos alimentos.

Grupo 3

Criar um jogo de certo e errado. “Tudo na vida, a gente tem de aprender, inclusive comer”. O grupo discutirá como as pessoas podem aprender que alimentação saudável não é qualquer alimentação. Em seguida, criarão um jogo de certo e errado, enfatizando algumas formas de aprendizagem sobre alimentação saudável.

Grupo 4

Sugerir ações: “quem tem direitos, tem deveres. Não podemos ficar de braços cruzados”. O grupo discutirá como cada um pode trabalhar para a promoção de uma alimentação saudável a todos. Em seguida, apresentará sugestões de ações para diversos sujeitos da comunidade: dona de casa, merendeira, professor, comerciário, estudante, diretor de escola, líder comunitário.

Grupo 5

Criar um prato colorido. “Uma alimentação saudável deve ser adequada ao corpo humano. E, por isso, alimentação tem de ser variada. Quanto mais colorido for o prato, melhor.” Usando desenho ou colagem, o grupo vai elaborar um prato que represente uma alimentação saudável e acessível.

Sétima etapa

Sugestão de músicas que dizem respeito às diferentes etapas do ciclo da vida. Os alunos receberão as letras das músicas e também um papel com um trecho das músicas. Os alunos serão orientados para encontrarem as pessoas que estão com o mesmo trecho de música e formarem grupos. Sugestão dos trechos das músicas:

 

Xote das meninas (Luiz Gonzaga) Fase: adolescência

http://letras.mus.br/luiz-gonzaga/47104/

“O pai leva ao doutor a filha adoentada

Não come, não estuda

Não dorme nem quer nada”

 

Cotidiano (Chico Buarque) Fase: adulta

http://letras.mus.br/chico-buarque/82001/

“Todo dia ela faz tudo sempre igual

Me sacode às seis horas da manhã”

 

Eu nasci há dez mil anos atrás (Raul Seixas) Fase: terceira idade

http://letras.mus.br/raul-seixas/48309/

“Eu nasci há dez mil anos atrás

E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais”

 

Metamorfose ambulante (Raul Seixas) Todas as fases da vida

http://letras.mus.br/raul-seixas/48317/

“Prefiro ser essa metamorfose ambulante

Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”

 

O professor distribuirá aos grupos uma tarefa relacionada a cada música apresentada. Cada grupo responderá brevemente às duas primeiras perguntas e a terceira deverá ser apresentada de forma criativa: teatro, paródia, poesia.

Tarefa para os grupos:

Grupo 1

No trecho que receberam da música Xote das Meninas (Luiz Gonzaga):

1 Vocês acham que esse trecho da música retrata bem a adolescência? Por quê?

2 Quais as características dessa fase da vida?

3 Discutam os hábitos alimentares na adolescência e sugiram hábitos saudáveis para essa fase. Apresentem de forma criativa.

Grupo 2

No trecho que receberam da música Cotidiano (Chico Buarque):

1 Vocês acham que esse trecho da música retrata bem a idade adulta? Por quê?

2 Quais as características dessa fase da vida?

3 Discutam os hábitos alimentares na vida adulta e sugiram hábitos saudáveis para essa fase. Apresentem de forma criativa.

Grupo 3

No trecho que receberam da música Eu nasci há dez mil anos atrás (Raul Seixas):

1 Vocês acham que o conhecimento e a experiência de vida são adquiridos somente com a idade? Por quê?

2 Quais as características dessa fase da vida: terceira idade?

3 Discutam os hábitos alimentares da terceira idade e sugiram hábitos saudáveis para essa fase. Apresentem de forma criativa.

Grupo 4

No trecho que receberam da música Metamorfose Ambulante (Raul Seixas):

1 Vocês acham que as pessoas vivem num processo constante de aprendizagem? Por quê?

2 O que realmente sabemos sobre alimentação correta?

3 Relacionem hábitos que todas as pessoas, independentemente da idade, devem ter para uma qualidade de vida mais saudável. Apresentem de forma criativa.

Para finalizar essa etapa, apresentar a música Família (Toni Bellotto), interpretada pelos Titãs:

http://letras.mus.br/titas/48973/

Sinalizar a primeira, a quarta e a quinta estrofes e lançar as seguintes questões:

Você acha que todos os membros de uma família têm as mesmas necessidades alimentares? Justifique a resposta.

Você acha que a letra dessa música é uma boa representação da organização familiar? Justifique a resposta.

Podemos aprender hábitos alimentares saudáveis em nossa família? De que forma?

Oitava etapa

Assistir ao vídeo e, em grupo, discutir sobre ele. Socializar a atividade.

Alimentação saudável

www.youtube.com/watch?v=cWybBHKZnZg

Nona etapa

Os alunos assistirão ao vídeo sobre como fazer e cultivar uma horta em casa ou na escola.

revistaepoca.globo.com/vida/noticia/2013/04/como-cultivar-uma-horta-caseira.html

Décima etapa

Os alunos confeccionarão panfletos informativos sobre o tema Alimentação Saudável, montarão painéis ilustrados na unidade escolar e cada turma poderá apresentar seu livro de receitas, podendo ser feito com a colaboração de familiares, amigos.

 

Autora: Maria do Carmo Rezende Procaci Santiago, graduada em Letras (Português-Inglês) e Direito, professora regente de Língua Portuguesa da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro (RJ). E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!