Se existe uma forma verbal que desperte as reações mais adversas, ela é o gerúndio. Basta ouvir um verbo terminado em “ando”, “endo” ou “indo” que as críticas surgem. Para esclarecer a polêmica em torno do gerúndio, a professora Walleska Bernardino Silva, da Escola de Educação Básica de Uberlândia (MG), criou um curto plano de aula com os objetivos de entender o gerúndio como possibilidade da língua, analisar casos de emprego dessa forma verbal e identificar problemas em seu uso.

Dividido em três atividades e voltado para alunos do ensino médio e do ensino de jovens e adultos (EJA), o plano de aula não faz uso de materiais muito complexos e pode ser realizado integralmente em sala de aula. Walleska alerta que os alunos precisam ter trabalhado anteriormente com verbos, formas nominais do verbo e período composto para obter o melhor desempenho nas atividades.

1ª atividade

Para começar o estudo, a professora mineira sugere a leitura do conto O mal ‘estar’ do Senhor Gerúndio, escrito por Dablio Vasconcelos e disponível na seção Extras do site da Profissão Mestre. A história mostra um diálogo entre uma atendente de telemarketing e um senhor ranzinza e frustrado, pois seu telefone não funciona. Depois de os alunos realizarem a leitura em silêncio, escolha ou peça para que dois deles façam uma pequena dramatização do conto. Em seguida, faça quatro perguntas à turma:

- O que chama a atenção de vocês no texto?

- Vocês concordam com a opinião do narrador de que a atendente não entende nada de português? Por quê?

- O uso das expressões “vou estar lhe encaminhando”, “vão estar lhe ajudando”, “vou estar aguardando” expressa alguma ideia? Qual?

- Qual o equívoco em relação ao uso dessas expressões?

“Realizada uma conversa inicial acerca das expressões no gerúndio para resgatar o conhecimento informal do aluno quanto ao uso desse recurso da língua, o professor introduzirá o gerúndio como uma das formas nominais do verbo que expressa ideia de algo em andamento, não concluído ou completo, portanto refere-se às ideias de movimento, progressão, duração, continuidade”, explica Walleska.

2ª atividade

O segundo passo do plano de aula envolve a exibição do vídeo Vamos estar falando sobre gerúndio (disponível em youtu.be/DLx0KEFI0hU). Em seguida, o educador deve solicitar aos alunos uma análise crítica do vídeo, com base no questionamento: A reportagem trata o gerúndio como mais uma forma verbal? Caso contrário, como ele é tratado? Logo após a análise, mostre o vídeo do professor Pasquale Cipro Neto, em que ele aborda o gerúndio (vídeo disponível em youtu.be/HbZVcaCbKgQ). “Com base nos vídeos, o professor deve conversar com os alunos [e explicar] que o gerúndio usado excessivamente e, portanto, de maneira equivocada, data do fim da década de 1990, quando os manuais de telemarketing foram mal traduzidos da língua inglesa. Eles traduziam literalmente as expressões I will be calling ou I am going to call”, afirma a professora. Depois de os alunos assistirem ao vídeo, distribua o texto O gerúndio é só o pretexto, de Luiz Costa Pereira Júnior (também disponível na seção Extras do site da Profissão Mestre). Depois da leitura, peça um resumo no qual os alunos expliquem o ponto de vista defendido no texto sobre o uso do gerúndio: sua simulação de formalidade e seu descompromisso em relação à palavra dada.

3ª atividade

Para concluir o plano de aulas, use a dinâmica da caixa argumentativa. Divida a turma em dois grupos: um a favor do gerúndio e outro, contra. Peça para que cada aluno escreva um argumento condizente com seu grupo e solicite que eles coloquem os argumentos em uma caixa. Em seguida, distribua os argumentos de um grupo ao outro e peça para que o aluno contra-argumente a afirmação que ele pegou. “Essa atividade propicia verificar se de fato os alunos entenderam o fenômeno estudado”, esclarece a autora do projeto. Ela complementa: “Exija de seus alunos uma leitura atenta e um resumo bem articulado do texto dado anteriormente para que eles consigam munir-se de argumentos para contra-argumentar”. Essa última atividade serve também para avaliar os alunos e averiguar se eles aprenderam ou não o conteúdo.

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!