Uma das melhores maneiras de entender como algo funciona é fazer parte da situação. Com isso em mente, Rodrigo Bellei, professor de Geografia da Escola Estadual São Vicente de Paulo, em Juiz de Fora (MG), e mestrando em Educação, propõe, ao longo de 12 aulas divididas em cinco etapas, que os alunos primeiro compreendam a origem histórica dos partidos políticos e, depois, simulem uma eleição em sala de aula. Confira:

1ª etapa

Para começar o projeto, Bellei sugere que a primeira aula seja dedicada a um bate-papo com os alunos, a fim de descobrir o que eles já sabem sobre as eleições e a política em geral. “Será importante argumentar sobre o que são os partidos políticos, para que servem, para que servem os cargos políticos (prefeito, vereador, presidente, senador e deputados), e comentar sobre alguns termos atribuídos à política, como CPI, mensalão, privataria tucana etc.”, cita o educador.

2ª etapa

Nas três aulas seguintes, a turma deverá ser dividida em três grupos e cada um terá que pesquisar a origem e o desenvolvimento de um partido político (sugestões do professor: PT, PSDB e PC do B, por terem histórias distintas). “Nessa etapa, seria interessante buscar a ajuda do professor de História, que pode trabalhar em conjunto com o professor de Geografia. Nessa análise, os alunos precisarão estar bem a par dos planos políticos de cada partido – respeitando, obviamente, a construção do conhecimento em cada faixa etária. Essa pesquisa se dará na sala de computação – pela internet –, com a orientação dos professores de Geografia e História. Se o tempo não permitir que a atividade seja concluída, os alunos poderão terminá-la em casa”, orienta.

3ª etapa

Com a turma ainda dividida em grupos, a quinta e a sexta aulas dão início à simulação de uma eleição. Cada equipe, com base no que pesquisou, irá escolher um candidato a presidente e um a vice, e elaborará um plano de governo com propostas para educação, saúde, transporte, segurança etc.

4ª etapa

As quatro aulas seguintes irão compor a quarta etapa do projeto, que se refere ao debate, o qual será mediado pelo professor. “É interessante o professor assistir com os alunos a alguns trechos selecionados de debates políticos antigos, para que eles possam compreender a estrutura dessa atividade. Também será necessário que o professor explique quais as regras da dinâmica com antecedência”, observa Bellei.

Os alunos precisarão elaborar as perguntas que serão feitas aos concorrentes e formular as respostas para os possíveis questionamentos que serão feitos a eles. Nesse debate, os estudantes apresentarão os seus planos de governo para outra turma, e, ao final da discussão, haverá uma votação dos alunos que ouviram o debate, os quais elegerão, simbolicamente, os seus candidatos.

5ª etapa

A última parte do projeto será dedicada à realização de discussões sobre alguns aspectos relacionados às eleições, tais como corrupção, importância do voto consciente e crítico, cobrança de promessas feitas pelos representantes políticos eleitos e papel da política na vida social brasileira.

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!