Quando falamos de gestão no ambiente escolar, as aplicações financeiras e outros aspectos gerenciais devem estar totalmente sincronizados com o plano político pedagógico da escola. Ter as duas equipes – administrativa e pedagógica – alinhadas em relação aos objetivos estratégicos faz com que o planejamento financeiro esteja de acordo com os focos estabelecidos para o ano, sejam eles relacionados ao projeto pedagógico, à gestão de pessoas, às melhorias na infraestrutura ou outras prioridades definidas em conjunto. 

Por sinal, um bom plano político pedagógico deve conter informações que revelem de que escola estamos falando – sua missão, valores, visão de homem, de mundo, concepções de ensino e aprendizagem –, além da proposta curricular, a qual estabelece o que e como se ensina, além da maneira como é feita a avaliação. O documento pode conter também aspectos relacionados à formação dos professores, à maneira como a equipe vai se organizar para cumprir o que foi estabelecido nos processos pedagógicos e à gestão administrativa – que tem como função principal viabilizar o que for necessário para que os demais pontos funcionem dentro do que foi previsto.   

A satisfação das pessoas que trabalham numa organização, por exemplo, está diretamente ligada à qualidade de seu desempenho. Dessa forma, aprofundando o ponto de partida em questão, a gestão de pessoas na escola garante, na maioria das vezes, um bom nível de satisfação nos processos pedagógicos de ensino e aprendizagem. Acredito que uma defasagem na gestão influi, certamente, na qualidade de ensino de uma escola. É por isso que não podemos cometer o erro de algumas escolas, que acreditavam, ou ainda acreditam, que os processos de gestão cabem à área administrativa e os processos pedagógicos à área pedagógica, apenas.

Outro ponto extremamente importante – o qual prova que a gestão escolar deve ser alinhada aos processos pedagógicos – é o cuidado com a manutenção e limpeza do espaço físico escolar. Manter o prédio limpo e organizado e a manutenção das instalações em dia é uma das ações que cabem ao gestor. No entanto, com o cenário organizado – aparelhos eletrônicos em perfeito funcionamento, luz e espaços ideais para promoção de atividades diversas, entre outros aspectos – o processo de ensino e aprendizado se torna mais prazeroso, ações que cabem ao responsável pedagógico.

Para que os pais analisem a gestão da escola em que seus filhos estudam, alguns pontos podem ser questionados: como a escola compartilha sua missão e valores com a equipe e certifica-se de que são colocados em prática? A escola é uma empresa saudável? É devedora? Cumpre todas as obrigações legais? Como está o nível salarial da equipe em relação ao mercado? A escola dá benefícios aos funcionários? Investe na formação da equipe? Como? Com essas respostas, os pais podem entender qual é a visão da escola e como ela sustenta seu posicionamento. Uma boa gestão promove resultados pedagógicos eficazes. 

Já para as escolas, a dica é manter a prática da avaliação. Quem trabalha com educação está o tempo todo avaliando e revendo suas metas: um ensino só é bom se há garantia de aprendizagem. Para isso, é preciso avaliar e certificar-se que o aluno está aprendendo. Na gestão escolar, não é diferente. Precisamos saber se os planejamentos estão benfeitos, se estão sendo executados e se estão gerando os resultados esperados. Assim como precisamos saber se as pessoas estão felizes e satisfeitas com o trabalho.

 

+ Educação
Assine a newsletter mensal e gratuita +Educação e receba ainda mais conteúdo no seu e-mail!